terça-feira, 22 de abril de 2014

"Se Deus não existe!"

Parte deste post neste blog muito interessante!

"Se Deus não existe, o Universo é um nada. Um nada que mal sabemos se simplesmente veio a existir sem uma causa ou se sempre existiu sem nenhuma causa, propósito ou objetivo. O Universo é simplesmente um atentado contra as leis da lógica: ex nihilo nihil fit (do nada, nada vem). [Somos fruto de uma explosão, que em si não tem propósito, e que originou todo o universo a que estamos condicionados a viver.]
Se Deus não existe, o homem é um mero acidente causado por uma série interminável de acidentes altamente improáveis [e matemáticamente improváveis], ceifado por um processo guiado por forças cegas e impessoais ao longo de um enorme intervalo de tempo. A existência da nossa espécie é um simples piscar de olhos sem praticamente nenhuma razão e nenhum efeito no potencialmente infinito tempo cósmico. [Estamos aqui, apenas para perpetuar a espécie que eternamente habitará este universo]

Se Deus não existe, não existe absolutamente nenhuma razão para dizer que isto é certo, é realmente certo ou aquilo é incontestavelmente errado. Não existiu nem nunca existirá qualquer preceito moral absoluto. Não há portanto nenhuma motivação real para viver desta ou daquela forma, já que todos teremos o mesmo final, e aliás um dia até o Universo terá o mesmo final que nós. 
No fundo, não há diferença entre uma Madre Teresa e um Adolf Hitler; Se Deus não existe, nossa existência é cega, sem sentido e injusta. Podemos fazer realmente o que quisermos, mas tudo o que fizermos não fará qualquer diferença no Universo ou em nós mesmos. Somos totalmente livres, mas efetivamente inúteis. 
Se Deus não existe, somos os seres mais miseráveis do mundo, pois possúímos a capacidade racional e estética de perceber a beleza do bater das asas de uma borboleta, a engenhosidade físico-química do metabolismo dos animais, as simetrias presentes desde o modelo padrão de partículas elementares do universo até nos corpos bipartidos de alguns seres vivos, conseguimos ver todas a essas coisas, mas não temos a quem agradecer quando as vemos. Na verdade, isto que nos parece tão belo é algo indiferente e ilusório. Se Deus não existe, todo cientista é um verdadeiro frustrado, pois a sua admiração tão real pela natureza não possui sentido algum. Aliás, se Deus não existe, nada realmente possui sentido.
Se Deus não existe, é óbvio que orar não tem sentido, que seguir religiões não tem sentido, que fazer campanhas missionárias ou mesmo até escrever este blog não tem sentido; mas também é verdadeiro que fazer caridade não tem sentido, ajudar as pessoas não tem sentido, preservar a natureza não tem sentido, enfim, viver não tem sentido. O significado que tentamos dar à brevidade da nossa vida é uma mera auto-ilusão. Se Deus não existe, Nietzsche estava certo ao dizer que o bem e o mal não existem, e que o ser humano deve se elevar acima destes valores e para isso utilizar quaisquer meios disponíveis, inclusive a força (foi a filosofia de Nietzsche uma das influências para a filosofia do nazismo). Se Deus não existe, Dostoyevski estava certo ao constatar que tudo é permitido. Se Deus não existe, a vida e a razão humana leva inevitavelmente à desilusão e ao desespero, e a consciência racional e coerente isenta de auto-ilusão acaba logicamente em suicídio.

Se, e somente se Deus existe, temos esperança."

Sl 19: 1 "Os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras das suas mãos."

2 comentários:

Franchico disse...

Muito bom.

Anônimo disse...

Dieg gostaria de saber em qual livro e capitulo Nietzsche escrevereu: o bem e o mal não existem, e que o ser humano deve se elevar acima destes valores e para isso utilizar quaisquer meios disponíveis, inclusive a força e Dostoiévski que tudo é permitido. Se Deus não existe.